Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Sexta, 30 de Abril de 2021 - 09:43

Bruno Reis justifica reabertura das escolas: '80% dos trabalhadores já tomaram a 1ª dose'

por Bruno Luiz / Ailma Teixeira

Bruno Reis justifica reabertura das escolas: '80% dos trabalhadores já tomaram a 1ª dose'
Foto: Valter Pontes/ Secom PMS

Apesar da resistência da Associação dos Professores Licenciados do Brasil – Secção da Bahia (APLB-BA) (APLB-BA), a Prefeitura de Salvador manteve a decisão de reabrir as escolas na próxima segunda-feira (3). O prefeito afirma que mais de 500 mil pessoas já receberam pelo menos a primeira dose de uma vacina na cidade, o que representa 27% do público-alvo a ser imunizado.

 

"Todos os idosos com mais de 60 anos já receberam ao menos uma dose da vacina. Até o início das aulas semipresenciais, 80% dos trabalhadores municipais da educação que atuam nas escolas já tomaram pelo menos a primeira dose", defendeu o gestor, em coletiva de imprensa, na manhã desta sexta-feira (30). Na ocasião, a gestão municipal vai apresentar os protocolos para a retomada das aulas, que, a princípio, serão em modo híbrido.

 

Em meio às justificativas para reabrir as unidades de ensino nesse momento, sem que os profissionais da área tenham completado o esquema vacinal, o prefeito disse que Salvador amanheceu sem nenhum paciente esperando leito. Atualmente, a taxa de ocupação nos leitos de UTI Covid está em 75% na capital baiana.

 

"Quero conclamar a pais e mães que mandem os alunos para as escolas porque temos todas as condições de retomar com segurança (...) Faço apelo aos professores, para a comunidade educacional da nossa cidade. Precisamos voltar às aulas, as crianças não podem mais esperar, elas querem voltar para a sala de aula", clamou.

 

De acordo com ele, se a gestão não retomar as aulas agora, serão três anos de impacto na educação dos alunos. "Não podemos ser acusados no futuro de omissão", frisou. As escolas estão fechadas desde março do ano passado, quando os primeiros casos de coronavírus foram registrados em Salvador. (Atualizada às 9h57)

Histórico de Conteúdo