Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Com recordes de mortes por Covid-19, Pazuello diz que Saúde não é 'máquina de soluções'
Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

Após o Brasil atingir a marca de 1.910 mortes por Covid-19 em 24 horas nesta quarta-feira (3), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, reconheceu que o país enfrenta um "grave momento da pandemia". Mas a resposta dele para as cobranças feitas ao Ministério da Saúde foi que a pasta "não é máquina de fabricar soluções".

 

“Estamos trabalhando firmes para mudar esse quadro. Não somos uma máquina de fabricar soluções, mas somos seres humanos focados na resolução de problemas”, disse o ministro, segundo o portal Metrópoles, parceiro do Bahia Notícias.

 

Na ocasião, ele também comentou a compra de 138 milhões de doses das vacinas Pfizer e Janssen. A  dispensa de licitação para aquisição dos imunizantes foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União, nesta quarta.

 

No caso da Pfizer, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já concedeu autorização para uso amplo no país (veja aqui). 

 

De acordo com o cronograma de vacinação divulgado pelo ministério em fevereiro, se as tratativas derem certo, 16,9 milhões da vacina Janssen devem chegar ao Brasil até 31 de outubro e 21,1 milhões até 31 de dezembro. Quanto a Pfizer, são 32 milhões de doses esperadas até outubro e 59,2 até dezembro (veja aqui).

Histórico de Conteúdo