Inquérito que apura queda de médica é prorrogado por mais 30 dias
Foto: Reprodução / TV Bahia

O inquérito que apura a queda da médica Sáttia Lorena Patrocínio Aleixo, que caiu do 5º andar de um prédio no bairro de Armação, em Salvador, terá mais 30 dias. O trabalho é conduzido pela Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Brotas. Segundo informou neste sábado (1°) ao G1, a Polícia Civil disse que a prorrogação ocorre porque o suspeito de provocar a queda, Rodolfo Cordeiro Lucas, companheiro de Sáttia e também médico, teve prisão preventiva revogada pela Justiça na última segunda-feira (27).

 

O caso ocorreu na madrugada do dia 20 de julho. A vítima, Sáttia Lorena, continua internada no Hospital Geral do Estado (HGE). O estado de saúde dela é considerado grave. Doações de sangue foram pedidas por familiares. Rodolfo foi preso em flagrante por tentativa de feminicídio, ainda na madrugada de 20 de julho. Levado inicialmente para a Central de Flagrantes da Polícia Civil, ele seguiu para a Deam.

 

No dia 21, ele teve a prisão preventiva decretada pela Justiça. Já no dia 27, a prisão preventiva dele foi revogada. Rodolfo nega que tenha jogado Sáttia do prédio.

Histórico de Conteúdo