Em depoimento, Flávio Bolsonaro confirma reunião com Marinho, mas nega vazamento
Foto: Roque de Sá/Agência Senado

Ao prestar depoimento ao Ministério Público Federal nesta tarde (20), o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos) confirmou ter participado de uma reunião com o empresário Paulo Marinho e advogados, mas negou a acusação de que teria tido informação privilegiada da Operação Furna da Onça, da Polícia Federal. 


De acordo com Marinho, o então deputado soube com antecedência de informações da investigação contra seu ex-assessor, Fabrício Queiroz, que agora cumpre prisão domiciliar.


Queiroz é acusado de ser o operador financeiro de um esquema de “rachadinhas” no gabinete de Flávio Bolsonaro, à época, deputado estadual no Rio de Janeiro. 


O senador prestou depoimento em seu gabinete, no Senado, ao procurador da República Eduardo Benones. De acordo com o MPF, por causa da prerrogativa do cargo que exerce, o local, a data e a hora em que gostaria de ser ouvido foram definidos pelo próprio Flávio.


O MPF apura se membros da Polícia Federal anteciparam a Flávio etapas da investigação que levou à Operação Furna da Onça, deflagrada em novembro de 2018.
 

Segundo o UOL, ao procurador Eduardo Benones, o senador confirmou o encontro com Marinho mas negou ter tido acesso a informações privilegiadas. 


"Nesse particular ele contradiz essa parte do [depoimento] do senhor Paulo Marinho", disse o procurador. 


A advogada de Flávio, Luciana Pires, que acompanhou o depoimento, confirmou que o senador disse ter participado do encontro com o empresário, mas negou ter recebido informações sobre as investigações. 

 

"Ele não se lembra da data, porque tem um ano e meio. Mas se lembra que teve reunião na casa do Paulo Marinho, junto com o advogado dele, para procurar advogado para ele. Nessa época, já estava protagonizando a questão do Queiroz e queria advogado.

Histórico de Conteúdo