Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Bolsonaro enviou fake news sobre Governo da Bahia a Sergio Moro; Rui Costa lamenta fato
Foto: Carolina Antunes / PR

A exposição de novos registros de conversas entre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, mostram que o primeiro compartilhou uma fake news sobre o Governo da Bahia. A mensagem encaminhada, datada do dia 22 de abril, se refere à administração do Hospital Espanhol, reativado para integrar a estrutura de combate ao novo coronavírus no estado.

 

"Hospital Espanhol, em Salvador, é reativado pelo governador Rui Costa, teve sua 'administração' entregue gratuitamente e sem licitação ao INTS - Instituto Nacional de Tecnologia da Saúde. Agora você sabe a quem pertence este INTS? É do filho do Senador Oto Alencar! As refeições do hospital serão fornecidas pela empresa de quem? Do Senado Ângelo Coronel a um preço 6 vezes mais caro que o normal. Uma médica amiga participou de uma reunião na Sesab (secretaria de saúde do Estado da Bahia) sobre a implementação dos leitos de diálise e o secretário Fábio Dantas disse a ela, com toda a arrogância, 'dinheiro não é problema , nós temos 230 milhões para gastar com o covid! Vamos gastar! O Covid não vai acabar nuncaaaaaa!!!" (sic), diz a mensagem repassada por Bolsonaro.

 

O INTS está, sim, à frente da administração da unidade de saúde, mas o deputado estadual Otto Filho (PSD) nega ter qualquer vinculação com a instituição. Quando a informação anônima veio à tona, em abril, o parlamentar e seu pai, o senador Otto Alencar (PSD), disseram que nenhum familiar tem relação com a entidade e que pediram a abertura de uma investigação e um processo nas esferas civil e criminal (veja aqui).

 

Agora, diante da revelação de que Bolsonaro foi uma das pessoas a compartilhar o boato, o governador Rui Costa (PT) rechaçou o ato. "Lamentável um presidente compartilhar e enviar notícia falsa a um ministro da Justiça. Esse fato pode ajudar no inquérito aberto pelo STF e na CPI das #fakenews do Congresso, que buscam identificar e punir os responsáveis pelo esquema criminoso de divulgar mentiras e calúnias", sugeriu o petista em postagem nas redes sociais.

 

 

CONVERSAS ENTRE BOLSONARO E MORO

Os novos diálogos entre o presidente e o ex-ministro foram publicados no sábado (23) pelo jornal O Estado de S. Paulo. Eles fazem parte do inquérito que apura a suposta tentativa de interferência de Bolsonaro na Polícia Federal (PF), como acusa Moro, e mostram que partiu do chefe do Executivo a decisão de trocar o diretor-geral da corporação.

 

"Moro, o Valeixo sai nessa semana. Isto está decidido. Você pode dizer apenas a forma, a pedido ou ex ofício", diz Bolsonaro no dia 22 do mês passado. Nesta mesma data ocorreu a reunião ministerial na qual o ex-ministro afirma ter sido pressionado a concordar com a demissão do chefe da PF (saiba mais aqui), que de fato foi demitido por decisão do presidente alguns dias depois.

Histórico de Conteúdo