Segunda, 06 de Abril de 2020 - 11:10

Não acredito que militares estejam à vontade para legitimar esse governo, diz Wagner

por Ailma Teixeira / Fernando Duarte / Breno Cunha

Não acredito que militares estejam à vontade para legitimar esse governo, diz Wagner
Foto: Bahia Notícias

Uma das principais lideranças da oposição no Senado, Jaques Wagner (PT) não acredita que um processo de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) avance no Congresso, neste momento. Mas o senador acha que o chefe do Palácio do Planalto está cada vez mais isolado.

 

Em entrevista ao Bahia Notícias, o senador pela Bahia pontuou que o presidente perde cada vez mais apoiadores: “É fato que a animosidade contra ele aumenta em todos os segmentos da sociedade. Ele na verdade está ficando cada vez menor, e cada vez só com os superfanáticos. As pessoas que têm bom senso acabam entendendo que ele não é companhia pra ninguém”.

 

Sobre a carta assinada por líderes da oposição no país pedindo a renúncia de Bolsonaro, Wagner destacou que não concorda com o pedido de renúncia. “Não assinei porque a carta foi produzida e foi pra rua rapidamente, e eu acabei nem sendo, na verdade, procurado, porque acho eles queriam colocar pessoas de cada partido, como já tinha o [Fernando] Haddad, a Gleisi [Hoffmann], do PT, aí colocaram Flávio Dino, do PCdoB, o Ciro [Gomes] como ex-candidato, então acho que a composição foi esta. Eu não colocaria este item. Renúncia é um ato unilateral. Ele vai fazer ou não vai fazer a depender do grau de sustentação dele”, falou. Veja a entrevista completa clicando aqui.

Histórico de Conteúdo