Após decisão do STF, condenados da Lava Jato no Paraná pedem para sair da prisão
Foto: Reprodução / Agência Brasil

Após o Supremo Tribunal Federal (STF) sentenciar contra a prisão após condenação em segunda instância, advogados de oito condenados da Lava Jato no Paraná solicitaram pedido de soltura dos presos.

 

Além de Lula, também pediram: Alberto Elísio Vilaça Gomes, ex-diretor da empresa Mendes Júnior, Fernando Moura, empresário Gerson Almada, José Dirceu, Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, irmão de José Dirceu, Sérgio Cunha Mendes, ex-vice-presidente da Mendes Júnior e Renato Duque, ex-diretor da Petrobras.

 

As defesas de Alberto Elísio Vilaça Gomes, Fernando Moura e Sérgio Cunha Mendes protocolaram os pedidos na noite desta quinta-feira (7), logo após o voto de desempate dado pelo presidente do tribunal, ministro Dias Toffoli, de acordo com o G1.

 

Na manhã desta sexta-feira (8), os advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do ex-ministro José Dirceu também entraram com pedido para soltura imediata dos dois petistas.

 

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), há 74 réus da operação no Paraná com condenação em segunda instância.

 

De acordo com um levantamento da RPC, 13 deles estão presos e podem sair da cadeia com a decisão do STF.

 

Entre os condenados que podem deixar a prisão, estão o ex-ministro petista José Dirceu e o ex-executivo da Engevix Gerson Almada, presos no Complexo Médico-Penal (CMP) de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

Histórico de Conteúdo