Terça, 17 de Setembro de 2019 - 17:40

Tucano apoia candidatura de Rui à presidência e colega reage: 'Certeza que foi sarcasmo'

por Rodrigo Daniel Silva / Matheus Caldas

Tucano apoia candidatura de Rui à presidência e colega reage: 'Certeza que foi sarcasmo'
Foto: Divulgação

Uma fala do líder do PSDB na Câmara de Vereadores nesta terça-feira (17), Sérgio Nogueira, causou discordância do vice-líder da legenda na Casa, Cézar Leite. Nogueira considerou Rui Costa (PT) o melhor governador do país e indicou que votaria no petista, caso ele concorresse à presidência da República.

“Na hora certa, eu falo bem do PT. E aqui, eu estou dando parabéns ao governador da Bahia Rui Costa pela entrevista que ele deu à Veja, uma das melhores revistas do Brasil. Todo mundo quer Lula Livre, mas Rui disse: “não, deixa ele lá [ex-presidente”. Hoje é o PT que precisa de Lula, não é Lula que precisa do PT. Todo mundo aqui sabe, senhor presidente [Geraldo Jr. (SD)], que tenho o prefeito ACM Neto como meu filho. Mas, hoje, se Rui realmente se lançar a presidente do Brasil, meu voto é de Rui”, declarou na tribuna da Casa. “Continue sendo independente, sim. Você hoje é o melhor governador da Bahia e do Brasil”, acrescentou.

Logo em seguida, Cézar Leite usou o microfone para se posicionar contrário à afirmação do seu líder. O parlamentar afirmou que esse não é um posicionamento da legenda e, caso o fosse, causaria uma debandada do partido. “Eu sei que em época de fake news, a gente tem que ter todo cuidado possível. Mas, após a fala do líder do PSDB, que é meu líder, eu tenho certeza que ele fez um sarcasmo quando ele indica o nome do governador Rui Costa como presidente. Eu acredito. Lógico que é sarcasmo. Avisando à imprensa que em nenhum momento o PSDB vai apoiar o governador Rui Costa como presidente. Porque, se isso for realidade, vai ter uma saída em massa do PSDB. Então, como temos que avisar em épocas de fake news, acredito que o nosso líder tenha feito uma brincadeira em relação a essa fala”, rebateu.

Em entrevista à Veja, Rui Costa afirmou que o PT deveria esquecer o "Lula Livre" na hora de firmar alianças partidárias. Também declarou que a sigla deveria condenar os abusos na Venezuela e ter apoiado Ciro Gomes (PDT) na campanha de 2018. O governador disse, ainda, que cogita ser candidato a presidente da República em 2022 (leia mais aqui). As declarações do gestor estadual motivaram o partido a divulgar uma nota no último domingo (15) (leia mais aqui).



Histórico de Conteúdo