PSB apostará em bandeira da economia criativa para superar partidos de esquerda em 2020
Foto: Divulgação

O PSB apostará no que entende como atraso do campo da esquerda na pauta econômica para sair vitorioso da eleição municipal de 2020. A sigla presidida na Bahia por Lídice da Mata irá reconstruir a sua pauta econômica em conferência nacional em outubro e deve apresentar o lema "cidades criativas" para levantar a bandeira da economia criativa no pleito do próximo ano. 

 

Secretário especial na executiva nacional do PSB, o baiano Domingos Leonelli destacou a importância da alteração no manifesto do partido, criado em 1947. "Não podemos ter uma esquerda que é moderna em muitos aspectos, como nas suas propostas para costumes, mas que ainda age de forma muito antiga na pauta econômica", argumentou. "A esquerda ainda defende a reindustrialização de um país como se isso fosse possível. Temos que modernizar a indústria", defendeu Leonelli. 

 

A economia criativa é o conceito que define a prática de um ambiente econômico que tenha como matéria-prima o capital intelectual. Ou seja, o modelo defende uma relação entre tecnologia, inovação, cultura, criatividade e sustentabilidade como forma de desenvolver economicamente um ambiente, como uma cidade.

 

Presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação discordou sobre a ideia de que a esquerda esteja atrasada na pauta econômica. O dirigente, entretanto, defendeu alterações dentro do PT.  “O partido precisa ouvir mais os movimentos sociais e não só aqueles que estão dentro do PT. Precisamos retornar os diálogos com setores produtivos com pequenos e médios empresários e chamar a responsabilidade deles para a questão da soberania nacional”, destacou. 

 

Everaldo defendeu que pautas como a da economia criativa já estão dentro do escopo das pautas econômicas do PT. “Mantemos o princípio da distribuição de renda no país, que já enquadra a economia criativa”, argumentou.

Histórico de Conteúdo