Defesa de Wagner diz que MPF age a partir de convicções e não provas
Foto: Divulgação

A defesa do senador Jaques Wagner (PT-BA) se manifestou nesta quinta-feira (13) após a Procuradoria Eleitoral  assegurar a abertura de um procedimento sobre crimes eleitorais supostamente cometidos pelo senador Jaques Wagner (PT-BA) nas eleições de 2006 e 2010, quando foi candidato a governador da Bahia (veja aqui). 

 

Em nota, os advogados do petista afirmaram que o Ministério Público, mais uma vez, “age a partir de convicções e não provas”. A nota também manifesta estranheza com a divulgação de mero parecer ao qual os advogados do parlamentar dizem sequer ter acesso. 

 

“Informa ainda que o senador está tranquilo, uma vez que o Tribunal Regional Eleitoral da Bahia decidiu, reiteradas vezes, que não existem elementos mínimos para justificar a instauração deste inquérito, seguindo entendimento consagrado pelo Supremo Tribunal Federal”, declarou a defesa do senador. 

Histórico de Conteúdo