Vale nega que laudos indicassem riscos de rompimento da Barragem de Brumadinho
Foto: Reprodução / G1

A mineradora Vale negou que laudos indicavam que havia risco de rompimento na Barragem de Brumadinho, na Grande Belo Horizonte. Durante uma entrevista coletiva na sede da empresa, nesta terça-feira (12), no Rio de Janeiro, executivos disseram que os relatórios não indicavam o risco iminente e a barragem estava "estável".

 

"Tínhamos laudos de estabilidade que indicavam claramente que não existia risco iminente na barragem, que a barragem estava estável. Não teve nenhum sintoma de problemas e não teve subida de nível, então, automaticamente, você não teve qualquer indicação de ação necessária", disse o gerente-executivo de Planejamento e Desenvolvimento de Ferrosos e Carvão, Lúcio Cavalli.

 

O diretor-executivo de Finanças e Relações com Investidores da Vale, Luciano Siani Pires, também negou a informação de que uma troca de e-mails dois dias antes do rompimento da barragem teria indicado que companhia estaria ciente de problemas nos sensores de Brumadinho (lembre aqui). "Os técnicos verificaram que 46 medidores de água funcionaram corretamente. E que não encontraram aumento no número de água. O objeto da troca de e-mails foi que a visualização desses instrumentos que estão em campo nos computadores do sistema centralizado estavam apresentando incorreções", explicou.

Histórico de Conteúdo