Barral garante que Salvador não exigirá dedicação exclusiva a servidores da educação
Foto: Paulo Victor Nadal / Bahia Notícias

Frente ao revés causado pela Lei estadual n° 14032 de 18 de dezembro de 2018, que determina dedicação exclusiva para diretores e vice-diretores de colégios ligados a gestão da Bahia, Bruno Barral, titular da pasta de educação em Salvador, garantiu que determinação semelhante não ocorrerá nas unidades municipais da capital.

 

De acordo com o secretário, a gestão do prefeito ACM Neto não adotará o mesmo posicionamento pois “não tem dúvidas da exclusividade e da dedicação de seus diretores e vice-diretores”. "Implantamos aqui um modelo de meritrocacia em que temos certeza da dedicação total dos nossos servidores", falou. 

 

Diretores de pelo menos 275 escolas estaduais terão que deixar a gestão das unidades de ensino em decorrência da implantação da lei que regulamenta a atividade de servidores que ocuparem a gestão de escolas estaduais e tem outro vínculo empregatício além daquele registrado com o governo do estado (saiba mais aqui).

 

“Isso de dedicação exclusiva é uma balela. O governador deveria olhar para as pessoas”, concluiu Barral, secretário municipal de educação de Salvador.

Histórico de Conteúdo