Boca do Rio tem praia com 15 vezes mais coliformes do que o recomendado para banho
Foto: Divulgação / Max Haack / Secom PMS

Em Salvador, apenas as praias de Stella Maris, Flamengo e Aleluia, no norte da capital baiana, além da Ponta de Nossa Senhora, na Ilha dos Frades, foram consideradas próprias para banho em todas as medições de qualidade feitas em 2018.

 

O levantamento publicado pelo jornal Folha de S.Paulo nesta quinta-feira (2), que analisou a qualidade das praias brasileiras, ainda revelou que, por outro lado, praias como a da Boca do Rio são impróprias para banho. A praia é um dos palcos do Festival Virada, Réveillon da cidade, mas tem índices que chegam a 16 mil coliformes fecais por 100 ml de água. O número é 15 vezes maior do que limite que a torna a própria.

 

O estudo ainda aponta que número de praias com qualidade ruim ou péssima cresceu 20% entre os anos de 2017 e 2018 no Brasil. Das 1.188 monitoradas no litoral neste período, 399 foram consideradas ruins ou péssima. No último ano, eram 332 praias nesta situação. Já o número de praias consideradas boas, próprias em todas as medições feitas no ano, caiu de 502 para 425. Praias regulares, que estiveram próprias em até 75% das medições feitas no ano, eram 354 e agora são 364.

 

Segundo a reportagem, uma praia é considerada própria se não tiver registrado mais de 1.000 coliformes para cada 100 ml de água na semana de análise e nas quatro anteriores. Entre as praias consideradas ruins ou péssimas, destacam-se praias nas grandes cidades e praias que ficam junto à foz de rios onde desembocam esgoto e água da chuva.

Histórico de Conteúdo