Prefeitura sanciona repasse milionário para Parque Social, após polêmica na CMS
Foto: Marina Silva / Correio

A prefeitura de Salvador sancionou, nesta quarta-feira (11), o repasse máximo de R$ 6 milhões de recursos públicos para a ONG Parque Social. O projeto, que permite a contratação de adolescentes e jovens nos órgãos, autarquias e fundações do Executivo Municipal, foi aprovado com polêmica na Câmara Municipal de Salvador (CMS) nesta terça-feira (10) (entenda aqui). 

 

A matéria virou alvo de recomendação do Ministério Público da Bahia (lembre aqui) porque, no texto, o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), propôs que o programa de trabalho fosse administrado pela ONG Parque Social, presidida pela mãe do gestor, Maria do Rosário Magalhães.

 

"O Parque Social é uma entidade que tem feito uma inversão da ordem para defender a juventude”, defendeu o líder da bancada de maioria na CMS, Henrique Carballal (PV). “Dizer que o MP mandou o presidente da CMS não votar é rasgar o mandato de vereador e entrega-lo para o Ministério Público", completou o edil sobre a polêmica. 

Histórico de Conteúdo