Jaguarari: Denunciante pede arquivamento de processo que cassou mandato de prefeito
Foto: Divulgação

Após a Câmara de Vereadores de Jaguarari afastar o prefeito Everton Rocha de seu mandato por 10 votos contra 3, sob a acusação de improbidade administrativa em uma licitação de um software para o setor de tributos, o denunciante solicitou o arquivamento da denúncia, de acordo com site Minuto Bahia. “A denúncia por mim apresentada perante a Câmara de Vereadores em face do então prefeito Everton Rocha e a empresa [é] improcedente por inteiro, já que ficou comprovada a inexistência da irregularidade. Dessa forma, a fim de evitar uma possível responsabilização contra minha pessoa em relação à difamação e calúnia em face do prefeito e da empresa Volutare, solicito a desistência e requeiro o imediato arquivamento”, reconheceu Klyton Marceu, no requerimento que apresentou a Comissão Parlamentar Processante da Câmara no dia 2 de março.

Klyton Marceu revelou ao portal uma suposta farsa montada pelo presidente da Câmara de Vereadores, Marcio Gomes, pelo vereador Zé Galego e pelo ex-vice-prefeito Fabrício D’ Agostino, que culminou com a cassação de Everton Rocha. Foram apresentados áudios e conversas no aplicativo de mensagens Watsapp que revelam a forma como o processo foi conduzido. Em conversa ocorrida no dia 17 de fevereiro, entre Klyton e o vereador Zé Galego, ficaria evidente a montagem do processo. Logo no início, o edil solicita que o denunciante formule perguntas a serem feitas as testemunhas.  Veja a imagem abaixo:

Na conversa com o então vice-prefeito Fabrício D’Agostino o denunciante teria enviado uma conta para que fosse feito um deposito no valor de R$ 1.250,00 que segundo ele seria parte do combinado pela participação no processo de cassação.

Histórico de Conteúdo