Demóstenes Torres acusa líder do DEM no Senado de ser financiado por Carlinhos Cachoeira
Foto: Agência Brasil
O ex-senador Demóstenes Torres acusou o líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado, de ter suas campanhas de 2002, 2006 e 2010 financiadas pelo empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, preso por corrupção e por comandar jogo ilegal em Goiás. A crítica foi divulgada em um artigo escrito por Torres e publicado na edição desta terça-feira (31) do jornal 'Diário da Manhã', de Goiânia. "Não era só de amizade que se nutria Ronaldo Caiado, peguem as contas de seus gastos gráficos, aéreos e de pessoal, notadamente nas campanhas de 2002, 2006 e 2010, que qualquer um verá as impressões digitais do anjo caído. Siga o dinheiro", escreveu Torres no texto intitulado 'Ronaldo Caiado: uma voz à procura de um cérebro'. Ele também cita que o presidente nacional do Democratas, o senador José Agripino Maia, foi beneficiado na campanha de 2010 por um suposto "esquema goiano" com participação de Caiado. Em nota, Caiado negou qualquer envolvimento político ou de amizade com Cachoeira e atribuiu as acusações de Torres a um comportamento "típico de psicopata". "Cassado pelos seus pares, em seus momentos de alucinação, por não suportar a sua derrocada política e moral, ele tenta lançar mentiras contra mim", afirmou Caiado. O ex-senador foi cassado pelos seus colegas em julho de 2012.

Histórico de Conteúdo