Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Venda de flores deve ter redução em 60% das floriculturas do país no Dia de Finados
Foto: Codecon / Divulgação
Dados do Sindicato do Comércio Varejista de Flores (Sindiflores-SP), encomendados à Hórtica Consultoria, apontam que 60% das floriculturas do Brasil devem ter, neste domingo (2), Dia de Finados, movimento igual ou menor que no ano passado. “Quando o feriado cai em dia útil, as pessoas antecipam as compras. Em 2014, a data cai num domingo, dia em que se costuma visitar o cemitério. Mas isso não significa que o lucro vai diminuir. Há os clientes fiéis”, defendeu a proprietária da floricultura Flor de Brotas, Maria de Fátima Tourinho, ao jornal A Tarde. À publicação, o antropólogo Alberto Albergaria sugeriu que a queda tem ligação direta com a cultura de supervalorização do que é novo e com o esquecimento do que é considerado velho. “Não há espaço para os mortos. Isso pode ser observado até na forma como a morte é encarada. A moda do crematório mostra exatamente o sentido de que quem morreu deve ser esquecido e não ocupar mais espaço. Foi deixada de lado a cultura do enterro e da manutenção dos ossos”, indicou Albergaria.

Histórico de Conteúdo