Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Protesto a favor do impeachment de Dilma também pede intervenção militar
Foto: Último instante
Manifestação a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), em São Paulo, atrai, na tarde deste sábado (1º), apenas 2,5 mil das 100 mil pessoas que confirmaram presença no evento, na página do Facebook que organizou o ato. O número de manifestantes foi estimado pela Polícia Militar, de acordo com reportagem da Folha. Além da saída da petista do Palácio do Planalto, os integrantes do protesto também pedem a intervenção militar no país. No ato, discursaram o empresário Paulo Martins, que foi candidato a deputado federal pelo PSC no Paraná, e o deputado federal eleito Eduardo Bolsonaro (PSC-SP), filho do deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ). Paulo acusou o PT, partido da presidente, de construir uma ditadura no país. Já Eduardo chegou a dizer que votaria no líder da facção criminosa PCC, Marcos Willians Verbas Camacho, conhecido como Marcola, mas não em Dilma. A caminhada teve início no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MASP), e a expectativa é de que se desloque até a Catedral da Sé, no centro de São Paulo. Atualizada às 16h17.

Histórico de Conteúdo