Jarbas Vasconcelos afirma temer que PT cerceie liberdade de imprensa no futuro
Foto: Geraldo Magela / Agência Senado
O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) alertou nesta terça-feira (28) que o Senado precisa tomar providências para garantir pela liberdade de imprensa no país. Para isso, ele pediu à Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) que cobre dos futuros ministros do Supremo Tribunal Federal compromisso com a imprensa livre. O senador disse considerar isso necessário por temer que o Partido dos Trabalhadores adote alguma medida para cercear a atuação da imprensa. A preocupação se deve, especialmente, ao ataque à redação da revista Veja na semana passada por causa de reportagem afirmando que os presidentes Dilma e Lula sabiam da corrupção na Petrobras. Ele explicou que, até 2018, a presidente Dilma Rousseff escolherá mais cinco ministros do Supremo Tribunal Federal, que conta com 11 ministros. E isso fará com que, ao longo de 16 anos, um total de 18 membros da Suprema Corte tenham sido indicados pelos governos do PT: oito por Luiz Inácio Lula da Silva e 10 por Dilma. “É inadmissível que este Senado da República aprove novos ministros do Supremo Tribunal Federal que venham a colaborar com o cerceamento da liberdade de imprensa. Essa questão precisa ser tratada com absoluta transparência e objetividade. É essencial que se faça essa cobrança na tradicional sabatina na CCJ. Os conflitos entre imprensa e os governantes de plantão fazem parte da democracia”, afirmou Jarbas. O senador disse que isso pode favorecer, no futuro, a aceitação, pelo Supremo, de qualquer ação do governo contra a liberdade de imprensa, como ocorreu na Venezuela, Equador e Argentina. Nesses países, segundo o senador, leis que permitem esse controle da mídia foram consideradas constitucionais pelas supremas cortes locais. Jarbas não quer que o mesmo ocorra no Brasil. Informações da Agência Senado.

Histórico de Conteúdo