Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Deputados do PV se mobilizam pelo fim de acordo nuclear entre Brasil e Alemanha
Foto: Agência Brasil
O Partido Verde na Câmara dos Deputados se mobiliza pelo fim do Acordo Nuclear Brasil-Alemanha, assinado em 1975, durante o regime militar. O documento que prevê uso pacífico para a energia nuclear será renovado automaticamente, até o fim do ano, se nenhuma das partes se manifestar contrariamente à prorrogação. No Brasil, não há perspectiva de o governo se posicionar contrariamente ao acordo por enquanto. Os integrantes do PV esperam que a revogação do documento venha por parte da Alemanha. Segundo o partido, o Parlamento Alemão vota o tema no próximo dia 6 de novembro. A liderança da legenda na Câmara encaminhou ofícios contra o acordo à primeira-ministra alemã, Angela Merkel, e ao presidente da Câmara Baixa do Parlamento Alemão, Norbert Lammert, além de manifestos a ministros alemães, ao embaixador alemão no Brasil, a ONGs ambientalistas e cientistas daquele país e à embaixada brasileira na Alemanha. Segundo o Partido Verde, o acordo não gerou o conhecimento e a tecnologia esperadas. Além disso, desde o acidente com a usina nuclear de Fukushima, no Japão, em 2011, a Alemanha anunciou o fechamento de todas as usinas nucleares daquele país até 2022 e o investimento em energias renováveis como solar e eólica. Também adiou a decisão sobre o empréstimo que seria feito para a construção da usina nuclear de Angra 3, no Rio de Janeiro. O Brasil continuou o projeto, principalmente com financiamento de bancos públicos. A previsão é que a usina entre em operação em 2018. Outras duas usinas nucleares, Angra 1 e 2, estão em funcionamento desde os anos 1980 e 2000, respectivamente. Para o líder do PV na Câmara, deputado Sarney Filho (PV-MA), porém, não há motivo para o País seguir usando energia nuclear. "Temos potencial de geração de energias alternativas renováveis, que são muito mais seguras. A energia nuclear não gera gases de efeito estufa, mas é muito perigosa. Até hoje a humanidade não sabe o que fazer com o lixo nuclear, porque não tem solução." Esta não é a primeira vez que a bancada verde na Câmara se mobiliza pelo fim da cooperação Brasil-Alemanha no campo nuclear. Manifestações de repúdio têm sido entregues a autoridades brasileiras e alemãs desde 2011. Informações da Agência Câmara.

Histórico de Conteúdo