Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Permanência de Temer como vice de Dilma será definida em convenção do PMDB
Foto: Estadão Conteúdo
A decisão sobre a permanência do vice-presidente Michel Temer (PMDB) na chapa da presidente Dilma Rousseff à reeleição será tomada na convenção nacional da legenda, no dia 10 de junho. “É lá que será decidida a aliança nacional, que eu penso que será reproduzida. Vou fazer esforço extraordinário para que todos os estados apoiem a aliança nacional, compreendendo as divergências regionais. Às vezes não tem o que fazer porque já há uma disputa regional”, disse Temer, nesta segunda-feira (19), em entrevista ao jornal O Globo. Na Bahia, o peemedebista Geddel Vieira Lima compõe a chapa das oposições, como candidato ao Senado. Em palestra na Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Temer afirmou que defenderá a realização de um plebiscito para fazer a reforma política. “Acho que a maneira mais eficiente de se fazer uma reforma política é misturando a democracia direta com a indireta. Você teria 10, 12, 15 perguntas, como voto distrital ou não, financiamento público ou privado, coincidência de datas. Depois, o Congresso consolidaria as propostas e formataria a reforma”, sugere, ao afirmar que pretende tornar o tema uma bandeira para seu partido. O vice-presidente ainda apontou a proliferação de partidos políticos. “O partido político deveria representar uma parcela da sociedade. Será que temos 32 correntes da opinião pública hoje? Quem examina os programas partidários vê que são muito parecidos. Os partidos, hoje, são apenas siglas partidárias. Precisamos de uma reforma política”, concluiu.

Histórico de Conteúdo