Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Para procurador-geral da República, há indicativos claros de regalias para presos do mensalão
Foto: Ed Gurgel/Estadão Conteúdo
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, encaminhou parecer ao Supremo Tribunal Federal (STF) no qual aponta “indicativos bastante claros” de que os condenados do processo do mensalão recebem tratamento diferenciado no sistema prisional do Distrito Federal, que “demandariam uma atitude imediata das autoridades responsáveis”. "As informações prestadas por autoridades da Defensoria Pública, do Ministério Público e do Judiciário, robustecidas por depoimentos formais de internos do sistema prisional local, formam um sólido contexto em que não há espaço para nenhuma cogitação de perseguição à administração prisional. Muito pelo contrário", diz Janot. Entre os indícios de regalias, o procurador cita o café da manhã e as visitas de políticos como Agnelo Queiroz, governador do DF, e o deputado Chico Vigilante (PT), que não foram registradas. "Nenhuma prerrogativa dispensa o registro de visitação de autoridade de qualquer esfera aos sentenciados", declarou, ao acrescentar: “Resta claro, e de plano, que os responsáveis pela administração carcerária estão desrespeitando esses normativos”. O parecer foi pedido pelo STF, após receber denúncias do Ministério Público do Distrito Federal (MP-DF) de que os presos do mensalão teriam regalias na prisão.

Histórico de Conteúdo