Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Cassada pelo TRE, deputada deverá permanecer na AL-BA até fim do mandato, crê advogada
Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias
Cassada por infidelidade partidária pelo Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), a deputada estadual Maria Luiza deverá completar o seu mandato, acredita sua advogada, Débora Guirra. Em entrevista ao Bahia Notícias, ela explicou que recorreu à Corte estadual após a condenação e, paralelamente, entrou com um pedido de liminar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). “Ela não saiu. Eu entrei com um recurso ordinário e um embargo declaratório no TRE. No dia seguinte, entrei com cautelar em Brasília. Não houve a comunicação do TRE à Assembleia para que ela perdesse o mandato”, declarou Débora. Ao avaliar o caso, o ministro do TSE Henrique Neves concedeu a liminar, o que evitou a perda do mandato da parlamentar até que o caso seja julgado. Maria Luiza trocou o PSD pelo PSC, partido ao qual era filiada anteriormente. “Há jurisprudência, por causa de um caso já julgado pelo plenário do TSE. Houve o entendimento de que não há infidelidade partidária quando a pessoa retorna para o partido anterior”, explicou a jurista. Débora estima que a Corte poderá levar até seis meses para finalizar o caso.

Histórico de Conteúdo