Quinta, 13 de Março de 2014 - 00:00

Valmir Assunção sugere campanha contra racismo no esporte para Copa do Mundo

por Luana Ribeiro

Valmir Assunção sugere campanha contra racismo no esporte para Copa do Mundo
Foto: Divulgação
Diante dos casos de racismo contra jogadores de futebol brasileiros ocorridos recentemente, o deputado federal Valmir Assunção (PT) cobrou medidas do governo federal, com a proximidade da Copa do Mundo. “Nós não podemos tolerar, de forma nenhuma, o racismo. Se há racismo no futebol, isso significa que a sociedade brasileira também é racista, e isso nós não podemos aceitar. Estou enviando uma sugestão ao Planalto para que possamos fazer uma grande campanha contra o racismo no esporte”, afirmou. Nesta quarta-feira (12), a presidente Dilma Rousseff lamentou os casos de discriminação e anunciou que receberá nesta quinta o volante do Cruzeiro, Paulo César Nascimento, conhecido como Tinga, e o santista Marcos Arouca da Silva, o Arouca, que foram vítimas de atos racistas. Além dos dois jogadores, o árbitro Márcio Chagas da Silva foi chamado de macaco e teve bananas colocadas em seu carro em Bento Gonçalves (RS), no jogo Esportivo x Veranópolis. Com a ação da presidente, Tinga ressaltou que espera atitudes de combate. “Não considero uma homenagem, pois não acho que haja motivo para ser homenageado, mas espero sejam tomadas medidas não só contra essa questão do preconceito racial, mas em todos os níveis, a diferença entre as classes, tudo de errado que está aí”, opinou. Para o petista, é preciso ser feita uma campanha, que contemple vídeos, veiculação em TV, folders e que trate também da homofobia. “Mesmo que o crime de homofobia ainda não esteja previsto no Código Penal, não podemos tolerar que declarações homofóbicas sejam naturalizadas nos campos de futebol, nas quadras esportivas. Nossos atletas não podem ser calados, por terem medo de retaliações. Isso não é um problema para se acostumar”, reiterou o parlamentar, no plenário da Câmara dos Deputados. 

Histórico de Conteúdo