Quarta, 27 de Novembro de 2013 - 00:00

Caetano critica Pinheiro e diz estar ‘aberto’ para apoiar outro candidato ao governo

por Alexandre Galvão

Caetano critica Pinheiro e diz estar ‘aberto’ para apoiar outro candidato ao governo
Foto: Ronaldo Silva / Divulgação
Tido por muitos como carta fora do baralho do governador Jaques Wagner na disputa para ser o candidato do PT ao governo na eleição de 2014, o ex-prefeito de Camaçari  Luiz Caetano (PT) disparou, em entrevista ao Bahia Notícias, contra o senador Walter Pinheiro (PT), pré-candidato à sucessão estadual. Apesar de gaguejar, o ex-presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB) não admitiu que esteja fora do páreo. Caetano disse que deu o seu melhor para ser o nome de Wagner e avaliou o que cada um dos pré-candidatos fez. “Todo mundo andou o que tinha para andar. Eu fiz o que podia. [José Sérgio] Gabrielli se articulou mais do que eu, mas ele tinha chances maiores do que as minhas. Agora, falando de articulação política, Rui [Costa] foi o que melhor se organizou, mas isso vai ser decisivo para o dia 30? ‘Bora' ver”, especulou. Pinheiro, que reafirmou sua condição de pré-candidato e se colocou "à disposição" em uma plenária realizada no último sábado (23), foi duramente criticado pelo companheiro de legenda. “Acho que Pinheiro fez pouca articulação política. Eu acho que não é hora de trazer outro partido para interferir nas decisões do PT. É precipitado buscar apoio tão cedo. Eu mesmo já recusei apoio político de outros partidos”, argumentou, ao se referir à presença de aliados da base do PT no evento do senador. O “Encontro com Caetano”, nome que recebe a plenária do ex-presidente da UPB nesta sexta-feira (29), é para “bater o martelo”, segundo ele. Questionado sobre uma possível desistência de concorrer ao governo da Bahia, Caetano hesitou, gaguejou e tentou sair pela tangente. “Eu tenho a disposição de deixar o meu nome, mas estou aberto para poder fechar dentro de uma candidatura que não seja a minha”, admitiu. Mesmo com as críticas ao colega, ele disse ter "amor" para distribuir. “Eu amo os três e quero que eles me amem também. Amo todo mundo porque quero o apoio deles”, finalizou, entre gargalhadas.

Histórico de Conteúdo