Profissional do Mais Médicos é afastado por suspeita de receitar dose de remédio excessiva para bebê
A prefeitura de Feira de Santana decidiu nesta quarta-feira (20) afastar um dos profissionais que atuam na cidade pelo programa federal Mais Médicos, por suspeita de prescrição excessiva de um medicamento para um bebê de um ano, que não tomou o remédio após desconfiança de familiares. O médico cubano atua na unidade do Programa Saúde da Família do bairro de Viveiros e foi denunciado pelo vereador José Carneiro (PSL). O profissional, que não teve o nome revelado, teria indicado 40 gotas de dipirona sódica para o bebê de dez quilos, quando o normal seria entre 4 e 8 gotas. A dosagem receitada pelo médico, segundo a posologia do medicamento, é destinada a adultos. A secretaria de Saúde de Feira, Denise Mascarenhas, adiantou que o caso foi informado a Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) e o Ministério da Saúde. “Iremos adotar as medidas legais”, garantiu Mascarenhas. Segunda maior cidade da Bahia, Feira de Santana recebeu 12 profissionais do Mais Médicos, sendo que 11 são estrangeiros. Após o caso, a secretaria decidiu promover um curso extra para os médicos, com a Assistência Farmacêutica Municipal, neste final de semana. 

Histórico de Conteúdo