Após prisão expedida, PT volta a negar compra de votos e classifica condenação como ‘injusta’
A executiva nacional do Partido dos Trabalhadores (PT) emitiu nota nesta sexta-feira (15), após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de prender os condenados do mensalão, em que repudia a ação do STF. “Julgamento injusto, nitidamente político, e alheio a provas dos autos”, classificou. Segundo a legenda, o ordem “fere o princípio da ampla defesa”, já que os petistas irão para a prisão antes de terem os embargos infringentes analisados. A comissão nacional voltou a negar a compra de votos e o enriquecimento ilícito dos membros. “O PT reitera sua convicção de que nenhum de nossos filiados comprou votos no Congresso Nacional, nem tampouco houve pagamento de mesada a parlamentares. Reafirmamos, também, que não houve da parte dos petistas condenados, utilização de recursos públicos, nem apropriação privada e pessoal para enriquecimento”, afirmou.

Histórico de Conteúdo