Terça, 29 de Outubro de 2013 - 00:00

Oposição vai obstruir votações na AL-BA, avisa Gaban; Zé Neto diz que adversário tem ‘amnésia’

por Sandro Freitas e Evilásio Jr.

Oposição vai obstruir votações na AL-BA, avisa Gaban; Zé Neto diz que adversário tem ‘amnésia’
Fotos: Evilásio Jr. e Max Haack / Bahia Notícias
Sem clima e com uma forte tensão entre as bancadas de governo e oposição, a Assembleia Legislativa (AL-BA) pode não ter votação de projetos nesta terça-feira (29), como é tradicional no parlamento baiano. Em contato com o Bahia Notícias, o líder da maioria, Zé Neto (PT), adiantou que vai discutir com os integrantes do grupo a possibilidade de realizar a sessão, mas acredita que, após o feriado e com a “dificuldade de mobilização”, a pauta deve ficar para quarta-feira (30). No entanto, seja qual for a data, o petista vai enfrentar a oposição na retranca. O líder do DEM e vice-líder da minoria, Carlos Gaban, garantiu ao BN que a bancada vai barrar qualquer votação de tenha projetos enviados pelo governo do Estado em regime de urgência. “Zé Neto insiste em não cumprir nada daquilo que fala. Vamos radicalizar tremendamente. Seja o projeto que for, seja o interesse social que for. Se o governo insistir em mandar projetos com urgência sem passar pelas comissões temáticas, vamos pedir vista e não vamos aprovar absolutamente nada a partir de agora. Vamos obstruir tudo, independentemente do projeto”, ameaçou. Zé Neto rebateu e ainda brincou ao "diagnosticar" o adversário com “amnésia”. “Tenho que ter paciência, só. Gaban tem amnésia, não lembra o que faziam conosco na oposição. Nunca alteramos nenhum projeto de lei, agora eles são relatores de projetos, alteram por emenda. Saindo as emendas parlamentares para todos os deputados, inclusive da oposição, serão incluídos. A oposição está chorando de barriga cheia”, disparou o governista, ao lembrar da época em que era da oposição, durante o governo de Paulo Souto (DEM).
 


Foto: Tiago Melo / Bahia Notícias
 
Outro tema que gera embate entre governo e oposição é a Proposta de Emenda a Constituição (PEC) que obriga o Executivo a liberar R$ 2 milhões/ano por deputado, através do orçamento impositivo. A pauta foi responsável por criar o clima de tensão atual, durante a sessão da semana passada (ver aqui, aqui e aqui) e estará na ordem do dia da Assembleia em breve. Zé Neto afirmou que é “preciso esperar” para analisar o tema. “Tudo tem o seu tempo. Vamos discutir”, resumiu o petista, que ainda pretende conversar sobre o assunto com a bancada de governo, mas acredita que a novidade só seria possível em 2015, posição que garante ter o entendimento dos colegas. Já o líder da oposição, Elmar Nascimento (DEM), aceita votar o projeto. “É uma PEC que dá autonomia [à AL-BA]. Apesar de o governador dizer que é republicano, existe uma política de fisiologismo. Quem muda ou adere ao governo consegue ter algo”, apontou. Zé Neto envolveu na disputa a Câmara de Municipal de Salvador, ao lembrar que o prefeito ACM Neto (DEM) criou as emendas para vereadores, mas não impositivas (ver aqui), e ainda desafiou Elmar a votar o projeto que acaba com os salários extras para convocações extraordinárias na Assembleia. Para tal acordo, o democrata tende a dizer não (ver aqui).


Histórico de Conteúdo