Quarta, 09 de Outubro de 2013 - 16:12

Após reunião a portas fechadas, votação de isenção do metrô é adiada

por Rodrigo Aguiar/ Evilásio Júnior

Após reunião a portas fechadas, votação de isenção do metrô é adiada
Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ Bahia Notícias
Uma reunião a portas fechadas na sala do vereador Alfredo Mangueira (PMDB) – que não estava presente – determinou o adiamento da votação na Câmara Municipal do projeto que pretende conceder isenção do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) para o consórcio responsável pela construção e operação do metrô de Salvador. O encontro contou com a participação dos cinco representantes do PTN – Carlos Muniz, Toinho Carolino, Alan Castro, Tiago Correia e Kiki Bispo –, os dois do PRB – Tia Eron e Luiz Carlos –, além de Marcell Moraes (PV), Marco Prisco (PSDB), Alemão (PRP), Leandro Guerrilha (PSL), Odiosvaldo Vigas (PDT) e Henrique Carballal (PT), responsável pelo anúncio de que a bancada do seu partido tinha fechado questão em favor do projeto. Em entrevista ao Bahia Notícias, o petista justificou que foi ao debate para tentar contornar a debandada. "Existe resistência por parte de alguns vereadores. Como é natural na Casa, alguns querem um tempo maior para discutir. Estamos buscando conciliar os interesses. Hoje não tem como colocar para votar. O objetivo é trabalhar para votar na segunda", estimou Carballal, ao pontuar que "o presidente Paulo Câmara (PSDB) se precipitou em dizer que o projeto seria votado hoje". Depois da reunião, a maior parte dos edis se retirou do plenário, embora o painel marcasse a presença de 42 legisladores. Sem quorum nesta quarta-feira (9), a matéria só deve mesmo ser apreciada na próxima segunda-feira (14), tanto pela Comissão de Transportes quanto, posteriormente, pelo plenário.

Histórico de Conteúdo