Brasileira do Greenpeace é indiciada por pirataria na Rússia
Foto: Reprodução
A bióloga gaúcha Ana Paula Maciel, de 31 anos, e outros quatro ativistas do Greenpeace foram acusados de pirataria pela promotoria russa e podem pegar até 15 anos de prisão. Eles fazem parte de um grupo de 30 pessoas presas desde o dia 19 de setembro após um protesto em uma plataforma de petróleo contra a exploração no mar de Pécora. De acordo com a ONG, os promotores devem apresentar nas próximas horas as acusações para o restante do grupo. "A acusação de pirataria está sendo lançada contra homens e mulheres cujo único crime é a posse da consciência. Isso é ultrajante e representa nada menos do que um ataque ao direito fundamental de protesto pacífico", disse Kumi Naidoo, diretor-executivo do Greenpeace Internacional. Ainda segundo a organização, o grupo estava a bordo do navio Arctic Sunrise, que teria sido ocupado ilegalmente pela guarda costeira russa em águas internacionais. Segundo o Estadão, os investigadores disseram que a embarcação havia violado uma zona de segurança de 500 metros ao redor da plataforma.

Histórico de Conteúdo