Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Marca Bahia Notícias
Você está em:
/
Notícia
/
Geral

Notícia

'Falta coragem política aos governistas', critica Hilton Coelho

'Falta coragem política aos governistas', critica Hilton Coelho
Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias
O vereador de Savador Hilton Coelho (PSOL) criticou, nesta terça-feira (16), o comportamento da bancada governista na Câmara de Vereadores por "fugir das discussões dos problemas da cidade”. O socialista fez duras críticas ao vereador e líder do DEM na Casa, Léo Prates, que derrubou a sessão desta segunda (15), após pedir verificação de quórum. “Léo Prates levantou casos hipotéticos que teriam acontecido em Macapá (AP) e se omite diante dos absurdos que ocorrem em Salvador. Fugiu mais uma vez, porém, terá que nos ouvir em algum momento porque para isso fui eleito. Meu papel é defender os interesses da maioria e não bajular o prefeito ACM Neto”, disparou. Hilton questionou ainda o que considera "omissão" do aliados diante dos poderes ilimitados do Sindicato das Empresas de Transporte Público de Salvador (Setps). “A Lei Orgânica de Salvador estabelece que para o cálculo da tarifa do transporte público deve ser levado em conta não apenas o equilíbrio econômico financeiro, como a capacidade econômica dos usuários. Salvador possui uma percentual de cerca de 20% de sua força de trabalho desempregada e um grande contingente de trabalhadores vivendo com apenas um salário mínimo. Por que os governistas não atuam para exigir a mais completa transparência da planilha de custos das empresas de ônibus?”, questionou. O vereador também cobrou a instalação de uma Comissão Especial de Investigação (CEI) diante do atraso de mais de 12 anos na entrega das obras do metrô, a um custo de cerca de R$ 1 bilhão. “É assim que atuam os governistas, em especial Léo Prates, silenciam diante dos maiores absurdos desde que os interesses de seus partidos estejam assegurados. Nosso mandato será sempre da resistência a todos os absurdos que ocorrem em Salvador e não nos calarão com mentiras, covardia política, manobras regimentais”, condenou.