Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Marca Bahia Notícias
Você está em:
/
Notícia
/
Geral

Notícia

Vereadora critica evento da prefeitura de Salvador com bancada governista 'a portas fechadas'

Vereadora critica evento da prefeitura de Salvador com bancada governista 'a portas fechadas'
Prefeito apresentou 'Planejamento Estratégico' para aliados em hotel
A vereadora de Salvador Aladilce Souza (PCdoB) criticou a exclusão dos vereadores que integram a bancada de oposição na Câmara Municipal da reunião, organizada pela prefeitura na última sexta-feira (12), para apresentar aos edis o planejamento estratégico elaborado pela administração. O evento, realizado no Sheraton Hotel da Bahia, na Avenida Sete de Setembro, definiu metas e iniciativas estratégicas que fixam as metas de cada secretaria e órgão público até 2016. “Considero um grande equívoco do prefeito promover uma reunião apenas com a bancada governista para discutir o planejamento estratégico da cidade porque ele é prefeito de Salvador, eleito para administrar o orçamento que é gerado por todos, de todas as matizes”, criticou. Para a edil, a gestão soteropolitana erra ao promover um evento sem a participação de todos. “Ação de planejamento, para ser democrático como o momento requer, deveria ser feita com a participação da sociedade, lideranças comunitárias, membros dos diversos conselhos que existem na cidade, pois a cidade não pertence a nenhum partido, mas sim a toda sua população”, afirmou. Segundo Aladilce, após a elaboração do planejamento estratégio, o prefeito deverá encaminhar à Câmara Municipal o programa de Governo em forma de Plano Plurianual (PPA). “Inclusive, que já deveria ter chegado ao Poder Legislativo, considerando que já está tramitando na Câmara o projeto que estabelece a Lei de Diretrizes Orçamentária [LDO] que constitucionalmente tem que ser compatível ao PPA. Porém isso não está acontecendo, o que demonstra a falta de sintonia do chefe do Poder Executivo Municipal com o Estado Democrático de Direito”, condenou. Ainda segundo a vereadora, a Comissão de Orçamento da Casa realiza audiências públicas sem ter conhecimento do Programa de Governo – PPA.