Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Marca Bahia Notícias
Você está em:
/
Notícia
/
Geral

Notícia

MP-BA cobra 'dignidade' a moradores retirados das ruas de Salvador

MP-BA cobra 'dignidade' a moradores retirados das ruas de Salvador
Moradores de rua foram levados para antiga Casa de Saúde Ana Nery
Uma reunião com a participação do Ministério Público da Bahia (MP-BA) discutiu, nesta segunda-feira (9), a situação de moradia de centenas de pessoas que viviam nas ruas de Salvador e foram transferidas para um prédio onde funcionou a Casa de Saúde Ana Nery, um dos mais tradicionais hospitais da capital baiana, situado no Largo da Soledade. De acordo com o MP, no local se amontoam desde o mês de maio, adultos, idosos, crianças, muitas delas recém-nascidas, que transitam entre animais e sem infraestrutura adequada. Segundo o órgão, uma denúncia foi entregue à Defensoria Pública no estado contra a Federação Brasileira de Direitos Humanos (FBDH), responsável pela administração do espaço. Além disso, segundo o MP, a denúncia acusa a prefeitura municipal de ter encaminhado tais pessoas para o local “devido à realização da Copa das Confederações, e que, na verdade, estaria ocorrendo uma limpeza humana nas ruas de Salvador”. Apesar de a administração soteropolitana negar a acusação, o promotor de Justiça que acompanha o caso, Valmiro Macedo, afirmou ter visto carros da prefeitura a descarregar material na área. O jurista explicou que o prédio é responsabilidade do Município e que a FBDH tem que apresentar a devida documentação para comprovar sua legitimidade para administrar o centro médico. “Há relatos de que um morador já esfaqueou outro, uma mulher perdeu o filho que esperava e ontem uma mulher foi agredida. No local, muitos moradores dizem que foi prometida a inscrição deles no programa Bolsa Família, mas alguns já conseguem se sustentar sem ir buscar ocupação fora”, informou o MP-BA. O promotor Valmiro Macedo aguarda os relatórios da inspeção das visitas realizadas no prédio por órgão competentes para que sejam adotadas as devidas providências.