Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Marca Bahia Notícias
Você está em:
/
Notícia
/
Política

Notícia

Sanches cobra ação de empresários de ônibus e vê 'chantagem' em mobilização de PMs

Por Bárbara Souza

Sanches cobra ação de empresários de ônibus e vê 'chantagem' em mobilização de PMs
Foto: Tiago Melo/ Bahia Notícias
O deputado estadual Alan Sanches (PSD) tem perspectivas diferentes de análise sobre dois fatos similares e que podem trazer prejuízos para a população de Salvador. Preocupado com a possibilidade de os rodoviários deflagrarem no próximo dia 18 a greve aprovada pela categoria no último dia 5, em nota à imprensa o parlamentar afirmou que “se for preciso estarei com meu grupo e meus amigos junto com outros manifestantes nas ruas da cidade contra qualquer possível aumento de tarifa”. Ele questiona o fato de os empresários de ônibus não terem resolvido o impasse com os rodoviários, apesar da antecedência com que foi anunciada a greve. “Por que vão deixar essa greve acontecer e não sentam para conversar?”, indaga Sanches, ao deixar entrever a insinuação de que o silêncio do empresariado é deliberado. Questionado se essa seria uma estratégia para pressionar a Prefeitura de Salvador a aprovar o aumento do valor da tarifa, o deputado contemporiza. “Espero que eles [empresários] não estejam fazendo isso e acredito que [ACM] Neto não vai se curvar [a uma eventual pressão]”, disse Alan Sanches, em entrevista ao Bahia Notícias. Quando o assunto é a deflagração da operação tartaruga anunciada na terça-feira (11) por policiais militares para o próximo dia 18, coincidentemente mesma data prevista para a greve dos rodoviários, o deputado da base aliada ao governo de Jaques Wagner (PT) assume uma linha de raciocínio diferente e que exime o governo do papel de protagonista para a solução do impasse com os PMs.  “Acho que não é inteligente esse movimento nesse momento em que Salvador é uma vitrine e vai se mostrar para o mundo”, argumenta o pessedista, ao ressaltar que “não vejo isso como greve, vejo como chantagem”. Indagado se, assim como os empresários, o governo estadual não deveria negociar com os policiais para evitar a paralisação parcial, Sanches volta sua artilharia na direção do vereador Marco Prisco (PSDB), presidente da Aspra (Associação de Policiais e Bombeiros da Bahia). Na visão do parlamentar, se há interesses na efetivação da operação tartaruga eles seriam do edil. “Ele [Prisco] já se coloca como candidato a deputado estadual, ele vai querer outro palanque”, afirmou Alan Sanches ao BN. Ele acredita que os policiais militares não efetivarão o plano de reduzir o ritmo de trabalho durante a Copa das Confederações porque “a tropa tem muita responsabilidade”, enfatiza o deputado, ao concluir: “Os rodoviários vão [parar], mas não os policiais”.