Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Marca Bahia Notícias
Você está em:
/
Notícia
/
Política

Notícia

Fabíola Mansur contesta Edvaldo Brito: 'Quem pode, pode; quem não pode, se sacode'

Por Rodrigo Aguiar

Fabíola Mansur contesta Edvaldo Brito: 'Quem pode, pode; quem não pode, se sacode'
Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias
Integrante da Frente Parlamentar de Saúde na Câmara Municipal, a vereadora Fabíola Mansur (PSB) contestou o seu colega Edvaldo Brito (PTB), ao comentar a aprovação de  26 emendas de autoria do advogado tributarista na reforma tributária do prefeito ACM Neto (DEM). O petebista declarou que suas emendas foram o resultado de três meses de debate com os mais variados setores da sociedade civil. “Fui a todos os lugares em que fui convidado”, disse Brito. “Com todo respeito ao professor Edvaldo, ele não escutou efetivamente todos os segmentos. A Frente Parlamentar de Saúde não foi contemplada”, rebateu a socialista. De acordo com a vereadora, o reconhecido tributarista não participou de audiências realizadas pelo grupo, que apresentou nove emendas. Ao ampliar sua insatisfação, Fabíola lembrou que apenas duas emendas da oposição foram aceitas, de 15. “Como diz o professor, ‘quem pode, pode; quem não pode se sacode’. Nós nos sacudimos e não aprovamos sequer uma emenda que adiciona um pronome para melhorar a redação de um artigo”, comparou. Entre as sugestões da oposição, estava a modificação de um item relativo à inscrição de contribuintes no Cadin, de acordo com a vereadora. “Um dos artigos diz que um contribuinte inscrito no Cadin não pode receber alvarás ou licenças para funcionamento. Isso atingirá pequenas clínicas. O contribuinte pode não ser um sonegador contumaz e terá impedida sua liberdade de funcionamento”, protestou.