Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

MPF denuncia vereadores e soldados envolvidos na greve da PM
Foto: Portal CTB
O Ministério Público Federal na Bahia (MPF/BA) denunciou sete pessoas entre vereadores, soldados e cabos da Polícia Militar (PM) da Bahia por crimes, de nítida motivação política, contra a segurança nacional, ocorridos durante a greve da PM, entre 31 de janeiro e 10 de fevereiro de 2012. Os acusados são: Marco Prisco Caldas Machado (ex-policial militar e líder do grupo), vereador de Salvador, e, de Jequié/BA, Gilvan Souza Santana; o cabo Jeoás Nascimento dos Santos; os soldados Josafá Ramos dos Santos e Jeane Batista de Souza; o líder da greve dos Bombeiros no Rio de Janeiro, Benevenuto Daciolo Fonseca dos Santos, e David Salomão dos Santos Lima, de Vitória da Conquista/BA. Eles vão responder por formação de quadrilha, impedimento do livre exercício dos Poderes da União ou dos Estados, controle de veículos de transporte coletivo, sabotagem contra instalações militares, paralisia, total ou parcial, de atividades e serviços públicos essenciais para defesa, incitação à subversão da ordem política, entre outros. Outro ponto se refere à uma afronta do estatuto da criança e do adolescente, já que, durante a ocupação da Assembleia Legislativa, famílias dos oficiais foram ao local com crianças, que foram transformadas em “escudos humanos”. De acordo com o MPF, a estratégia nas vésperas do Carnaval, visava, além do aumento próprio de capital, o sucesso nas eleições municipais, como foi o caso de Prisco, eleito com expressiva votação, e Gilvan. Outros três denunciados também se candidataram, mas apesar do grande número de votos, não foram eleitos.

Histórico de Conteúdo