Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Coordenador geral do Sindipetro-BA estima em 90% adesão de trabalhadores a paralisação
Foto: Divulgação
O coordenador geral do Sindicato dos Petroleiros da Bahia (Sindipetro-BA), Paulo César Martin, estimou que 90% dos trabalhadores da Petrobras no estado aderiram à paralisação de advertência de 24 horas, iniciada a 0h desta terça-feira (28). Piquetes foram montados para impedir o acesso dos empregados que não participaram do movimento às sedes administrativas e operacionais. Segundo o dirigente, o objetivo da ação é fazer a empresa e suas subsidiárias discutirem com os empregados a Participação nos Lucros e Resultados (PLR) de 2012 antes da reunião do Conselho de Administração da Petrobras, no próximo dia 8 de fevereiro. “A empresa alega que não pode negociar enquanto não tiver deliberado o assunto no conselho, mas se eles aprovarem o montante antes de negociar com a gente, a discussão está morta. O nosso pedido é de 25% do que foi distribuído para os acionistas, de forma igual entre os trabalhadores”, afirmou Martin, em entrevista ao Bahia Notícias. De acordo com o sindicalista, a Federação Única dos Petroleiros (FUP) se reúne nesta quarta (30), no Rio de Janeiro, com os sindicatos locais para debater a possibilidade de uma greve por tempo indeterminado até o dia 8 de fevereiro.

Histórico de Conteúdo