Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Uma moradora do Imbuí, em Salvador, foi agredida na madrugada deste domingo (30) na Avenida Jorge Amado, em frente ao bar do Empório. O motivo, segundo a residente, foi após solicitar às pessoas que bebiam e ouviam som à 1h30 nas alturas para que diminuíssem o volume ou desligassem o aparelho do veículo. Ieda Leones Nascimento alega que foi agredida, recebeu um soco no nariz, teve o carro depredado e o celular e carteira roubados durante a confusão. “Por causa do barulho constante não consigo dormir, já desenvolvi déficit de atenção, pressão alta, síndrome do pânico, além de ter minha vida profissional prejudicada”, contou em email enviado ao Bahia Notícias. Ainda segundo ela, o atendente da Delegacia da Boca do Rio se recusou a registrar o Boletin de Ocorrência (B.O.), já que, conforme informou, os agressores não teriam sido identificados. “Vivo em uma cidade onde pago impostos altíssimos, onde as leis não são respeitadas porque não há fiscalização e onde não posso registrar um caso de agressão porque a polícia se recusa. A poluição sonora de que estou reclamando acontece há mais de 8 meses e ninguém toma providências. Eu também vou ser omissa e só pagarei impostos, inclusive o IPTU, quando meu direitos forem respeitados", indignou-se.

Histórico de Conteúdo