Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Pendências da administração de João Henrique podem cancelar Réveillon em Salvador
A festa da virada em Salvador este ano pode não ter a tradicional queima de fogos e shows que acontecem no Farol da Barra e outros pontos da cidade. Segundo a Secretaria Municipal de Comunicação (Secom), a prefeitura não possui verbas suficientes para os gastos com o Réveillon, que custa em cerca de R$ 2 milhões, já que o prefeito João Henrique (PP) precisa quitar o acúmulo de pendências financeiras antes que o novo gestor assuma, em 2013, para que não se contrarie a Lei de Responsabilidade Fiscal. Responsável pela realização dos eventos, a Empresa Salvador Turismo (Saltur) informou que apesar de ainda não ter sido confirmado o cancelamento do evento, medidas como busca de parcerias e patrocínios têm sido tomadas para minimizar os riscos. A administração municipal apontou que outras capitais nordestinas também ameaçam o cancelamento dos festejos pelo mesmo motivo. De acordo com a Secom, Fortaleza, Recife, Maceió e Aracaju vivem situação semelhante. Contudo, o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, confirmou na última segunda-feira (26) que haverá a realização da festa na Praia de Atalaia e no centro da cidade. Em Fortaleza, o Réveillon também está confirmado pela prefeita Luizianne Lins, que negociou a realização com a equipe de transição do prefeito eleito, Roberto Claudio. Recife também terá festa. A Secretaria de Cultura da capital pernambucana confirmou os festejos na Praia de Boa Viagem, como ocorre em todos os anos. O secretário de Turismo da Bahia, Domingos Leonelli, que demonstrou espanto com o caso. “Ainda estamos ingerindo a ideia de assumir a responsabilidade da realização do evento", disse, em entrevista ao Ibahia. Segundo Leonelli, o presidente da Saltur, Jonga Cunha, entrou em contato para informar a situação atual do evento, mas por enquanto nenhuma posição oficial foi tomada. Ele também afirmou que, caso o Estado assuma a celebração, será dada prioridade aos festejos da Barra. Um posicionamento oficial deve ser adotado até a próxima segunda-feira (3).


Histórico de Conteúdo