Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

A Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep) criticou o projeto aprovado na terça-feira (7) no Congresso Nacional que reserva metade das vagas das 59 universidades federais a cotas sociais e raciais, e ameaça ir à Justiça. Para entrar em vigor, a proposta ainda precisa ser sancionada pela presidente Dilma Rousseff, que apoia a iniciativa. "A igualdade é garantir para esses meninos [beneficiados pelo projeto] uma escola pública de qualidade. Não é fechando a entrada dos alunos das particulares que você corrige isso", afirmou a presidente da Fenep, Amábile Pacios. Informações da Folha.

Histórico de Conteúdo