Um critério adotado no edital de um concurso da Secretaria de Cultura do Estado favorece filiados políticos na seleção. A militância em partido político acrescenta até 10 pontos – 2,5 por ano de atuação – ao concorrente que tenha exercido tal atividade. “Efetivamente muitos ficarão indignados e impressionados com a alusão a partido político, por si só já inaceitável, haja vista a verdadeira ojeriza que boa parte da população tem em relação à militância partidária, o que deixa claro que a regra tem o escancarado propósito de beneficiar algumas pessoas”, denuncia em carta aberta Waldir Santos, advogado da União, professor e colunista semanal de concursos do Jornal A Tarde. Ele ainda chama a atenção para o item 11 do edital, que, segundo ele, prevê “a contratação direta, com aplicação de entrevista” apenas no caso de não preenchimento de vaga. As inscrições para o concurso começam nesta quinta-feira (23).

Histórico de Conteúdo