Preso por participação em morte de pastora, pastor afirma que 'só queria dar um susto'
De preto, Fábio e, de azul, Adriano | Foto: Reprodução / Blog do Anderson
Preso por participação no sequestro que culminou na morte da pastora e professora da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), Marcilene Oliveira Sampaio, 38, e de sua prima, Ana Cristina Santos Sampaio, 37, o pastor Fábio de Jesus Santos, que está custodiado na delegacia de Vitória da Conquista, afirmou que o intuito do mentor do crime, o também pastor Edmar Santos, era assustar as vítimas. Em relato em vídeo ao blog Blitz Conquista, o acusado conta que Edmar planejou a ação e convocou os amigos para “dar um susto” na família, como forma de se vingar do marido de Marcilene, o pastor Carlos Eduardo de Souza, 50, com quem havia brigado. De acordo com investigações da Polícia Civil, o apontado como mandante do crime também estava inconformado em perder fiéis para a igreja da pastora. No vídeo, Fábio nega participação na morte de Marilene e Ana Cristina e alega que apenas dirigia o veículo que levou as vítimas para o local do crime. “Não vi matar, eu não estava junto. Quem matou ou foi Adriano (também preso por participação no sequestro e assassinato), ou foi Edmar”, relatou. "Agora é pagar as consequências", completa. Também preso e custodiado na delegacia de Conquista, Adriano Silva Santos, 37, conta que também foi chamado por Edmar para participar da ação apenas para assustar as vítimas, mas o pastor mudou de ideia. “Quando chegou lá, Edmar mudou a história, disse que não poderia deixar testemunhas para não complicar ele depois. Quem matou foi Edmar”, detalha. O acusado também contou como o pastor Carlos Eduardo de Souza conseguiu escapar da morte. Conduzido no veículo de propriedade de Fábio, ele provocou um acidente e fugiu. Edmar Santos continua foragido.

Histórico de Conteúdo