Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Porto Seguro: Comunidade indígena reclama de falta de transporte para estudantes
Foto: Reprodução / Radar 64

Moradores de uma comunidade indígena de Porto Seguro, na Costa do Descobrimento, protestaram nesta terça-feira (7) pela falta de transporte. Segundo o Radar 64, parceiro do Bahia Noticias, há dois dias não há transporte para estudantes da Escola Indígena Barra Velha. Por isso, nesta quarta-feira (8), os alunos da unidade de ensino tiveram de ir a pé para a escola. O problema atinge as aldeias de Bugigão, Xandó, Porto do Boi e Pará.

 

Na segunda-feira (5), a própria direção da escola informou em nota que não haveria ônibus escolar para os estudantes devido ao atraso de três meses de salários dos motoristas. No protesto desta terça, o cacique Aruã, presidente da Federação Indígena das Nações Pataxó e Tupinambá do Extremo Sul da Bahia (Finpat), acusou o que chamou de “descaso com a educação escolar indígena”.

 

PREFEITURA

Em resposta, a secretaria de educação de Porto Seguro se pronunciou sobre o caso. Conforme a pasta municipal, os motoristas não receberam os pagamentos porque teriam descumprido duas determinações previstas no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), serem habilitados na categoria D e terem sido aprovados em curso especializado.

 

“Foram feitas diversas notificações em que se atribuiu prazo para que pudessem corrigir as falhas encontradas”, mas “elas nunca foram corrigidas”, o que resultou “na impossibilidade de pagamento dos valores, visto que essa é a única forma de obrigá-los ao cumprimento do que a lei ordena”, diz a nota.

Histórico de Conteúdo