Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Lauro de Freitas: Sindicato faz ato para cobrar agilidade em liberação de benefícios
Foto: Divulgação / Asprolf

Os servidores da educação da rede municipal de Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), fazem um ato nesta quarta-feira (21). Representados pelo sindicato da categoria [Asprolf], os trabalhadores cobram a liberação de processos parados na Procuradoria Jurídica do Município (Projur).

 

Entre as cobranças há pedidos de benefícios não pagos, como progressão de carreira e débitos retroativos. O sindicato diz que o tempo comum de os processos serem analisados e liberados devia ser de 60 dias. No entanto, há alguns que têm dez anos. Munidos de cartazes, os servidores usaram palavras de ordem para chamar a atenção para o problema.

 

O grupo também trouxe um bolo para simbolizar a demora na liberação dos benefícios. O ato foi chamado de “60 DIAS OU 60 ANOS, QUANTO TEMPO VALE UM PROCESSO?”. Ainda segundo a categoria, eles devem se reunir como membros da prefeitura para discutir a questão reivindicada.

Histórico de Conteúdo