Guaratinga: Geógolos fazem avaliação após tremores; laudo deve apontar procedimentos
Foto: Reprodução / TV Santa Cruz

Geólogos da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CRPM) fizeram nesta terça-feira (19) uma avaliação para descobrir as causas dos dois tremores que atingiram a cidade entre o final de janeiro e o início de fevereiro (ver aqui e aqui). Segundo a TV Santa Cruz, os dois geólogos preparam um relatório que deve apontar um quadro da situação, revelando se será necessária uma força-tarefa ou um estudo mais aprofundado. À emissora, a geóloga Juliana Moraes tranquilizou os moradores. A especialista em geociências explicou que no Brasil geralmente não há terremotos de grande magnitude, sendo mais comum tremores suaves e sutis.

 

Os pesquisadores também foram até o local onde ocorreu o desplacamento de uma rocha de mais de 400 metros. Eles explicaram que como a rocha é cheia de fraturas, os desplacamentos que ocorreram são uma espécie de descamação da capa da rocha. O fenômeno, segundo eles, é comum. No entanto, é preciso manter uma distância segura. Em menos de 15 dias, entre o final de janeiro e o começo deste mês, a cidade registrou dois tremores acima de 2 graus na escala Richter, o primeiro foi de 2,5 e o segundo de 2,1.

Histórico de Conteúdo