Sexta, 13 de Março de 2020 - 12:32

Trading: Turismo é um dos setores mais sensíveis ao coronavírus

por Gabriel Carvalho | gabriel.jornalismo@gmail.com

Trading: Turismo é um dos setores mais sensíveis ao coronavírus
Foto: Google Images
 
O coronavírus chegou com força ao Brasil. Até esta sexta-feira (13), foram confirmados 151 casos da doença no País e o setor da economia que primeiro sentirá o impacto da pandemia mundial é o turismo. Na Europa, bares, restaurantes e estabelecimentos comerciais próximos aos cartões-postais de destinos como Roma, Paris, Madri e Barcelona estão fechados ao público. Parques temáticos da Disney em todo o mundo também estão sendo interditados e até a Olimpíada de Tóquio, no Japão está correndo risco de cancelamento.
 
No Brasil, o Turismo, que movimentou US$ 150 bilhões em 2018, pode ter uma retração por conta da pandemia. Na prática, as agências e companhias aéreas ainda não falam em cancelamentos de viagens, mas a sensação de pânico já domina a atmosfera entre hoteleiros e governos de estados e cidades considerados destinos de grande movimentação de visitantes.
 
Recentemente, Itacaré entrou no radar da imprensa que cobre o turismo e o coronavírus, com a confirmação do contágio de pessoas que estiveram no casamento da blogueira Gabriela Pugliesi, em um resort no município. O que seria uma ação de visibilidade positiva e promoção de imagem do destino se transformou em apreensão entre gestores públicos e privados. 
 
Em Feira de Santana, a tradional micareta foi adiada e não há prazo para sua realização. Também no interior do Estado, começam a surgir especulações sobre a realização do São João, o que tem deixado músicos e  produtores em polvorosa. Brasil à fora, o coronavírus se tornou assunto de botequim, salões de beleza e esquinas.
 
Coincidência ou não, a Latam, uma das principais companhias aéreas do País, anunciou, por meio do seu perfil no Instagram, uma promoção que oferece passagens por até R$ 98 para roteiros nacionais e R$ 650 para viagens ao exterior. 
 
Nesta sexta-feira (13), a contaminação que atingiu até o presidente da República, Jair Bolsonaro, e um integrante do alto escalão do seu governo, foi a notícia mais comentada e publicada entre os veículos de comunicação, o que acende a luz vermelha para as viagens internacionais. 


Histórico de Conteúdo