Quinta, 02 de Abril de 2020 - 21:05

Empresas produzem milhares de máscaras para os serviços de saúde

por Iga Bastianelli

Empresas produzem milhares de máscaras para os serviços de saúde

Fábricas adaptadas para produzir 10 mil máscaras por dia

 

O grupo Calzedonia, holding italiana de moda e detentora da marca Intimissimi, que tem lojas nos shoppings Barra e Salvador, franqueada pela empresária Renata Andrade, adaptou algumas de suas fábricas para a produção de 10 mil máscaras e aventais médicos por dia, para serem doados aos serviços de saúde italianos.

As entregas das máscaras já começaram e o hospital de Verona - cidade onde se encontra a sede do Grupo Calzedonia - foi o primeiro a receber. A Itália é um dos países mais afetados pelo Covid-19. À frente da ação está Sandro Veronesi, presidente e fundador do grupo Calzedonia.

 

 

 Handmade: Costureiras fazem máscaras de tecido para doação 

Diante do atual cenário de pandemia, pequenas atitudes são capazes levar conforto e consolo às pessoas. Foi pensando nisso que, Mirian Gotfyrd e Fabiana Geraigire, sócias-diretoras da Blue Gardenia, e toda sua equipe confeccionaram mais de 800 máscaras reutilizáveis e laváveis. Em tempo de escassez, as peças foram doadas para Prefeitura da cidade de Santos, em prol da distribuição para pessoas que mais necessitam fazer uso delas."Nessa hora o que vale é o amor ao próximo" enfatiza a diretora de criação, Mirian Gotfryd.

 

27 mil máscaras para profissionais de saúde de saúde de hospitais públicos do Ceará e Rio Grande do Norte. 

A Vicunha, referência global em soluções jeanswear, em apoio às instituições hospitalares brasileiras e para atender às suas necessidades mais urgentes no combate ao Coronavírus(COVID-19), doa 27 mil máscaras para secretarias de saúde do Ceará e do Rio Grande do Norte, estados onde a companhia possui operações industriais no país. Os equipamentos de proteção individual (EPIs) serão destinados a profissionais de saúde de hospitais públicos para evitar o contágio pelo novo Coronavírus. 

 "Os itens faziam parte dos nossos estoques fabris para serem utilizados por funcionários na produção têxtil. Com o aumento dos casos do novo Coronavírus no Brasil, e o alerta sobre a falta de equipamentos de proteção para profissionais de saúde devido à pandemia, decidimos disponibilizar os materiais para uso imediato no sistema de saúde" afirma o diretor-presidente da Vicunha, José Maurício D’Isep. 

Histórico de Conteúdo