Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quinta, 20 de Agosto de 2020 - 23:05

O Missólogo baiano Roberto Macedo apresentou Concurso Miss Brasil 2020

por Iga Bastianelli

O Missólogo baiano Roberto Macedo apresentou Concurso Miss Brasil 2020

 

Roberto Macedo é Missólogo, apresentador e porta voz do Miss Brasil e acabou de transmitir de forma extraordinária, ao vivo, pelo You Tube o Concurso Miss Brasil 2020. Anunciada hoje, dia 20 de agosto, a Miss Brasil que representará o país no Miss Universo é Júlia Gama @juliawgama.

 

Confira abaixo a entrevista que Roberto Macedo concedeu ao Bahia Notícias Mulher um dia antes do evento:

 

Roberto Macedo é Missólogo e considerado o primeiro especialista brasileiro no assunto. Arquiteto e jornalista pela Universidade Federal da Bahia –UFBA, trabalhou 12 anos em televisão como repórter. Recentemente foi convidado pelo novo fraqueado do Miss Brasil, o empresário Winston Ling, para ser um dos responsáveis pela organização do evento, porta voz e apresentador do concurso.

Roberto acaba de apresentar o Miss Brasil 2020, que foi transmitido de forma extraordinária on line, pelo You Tube, devido a pandemia!

Segundo Roberto Macedo o Miss Universo autorizou que os países escolhessem as misses por indicação. “Decidimos por uma miss que reúne todos os pré requisitos para trazer o título de miss Universo para o Brasil”, disse o missólogo.

 

Roberto como você se tornou missólogo, aliás é um termo muito curioso, como tudo isso começou?

Desde criança sempre fui estudioso e tinha fama por ter na ponta da língua respostas sobre qualquer assunto de geografia. Era conhecido em Rio Real, cidade onde nasci, por saber todas as capitais dos países, as principais cidades, nomes dos oceanos e rios. Um dia meu pai chegou em casa com 2 revistas onde 2 mulheres que ilustravam as capas pareciam rainhas, logicamente aquela novidade me chamou atenção e fiquei interessado e muito curioso em logo folhear as revistas, mas como era o irmão mais novo fui proibido por minhas irmãs e tive que esperar todos lerem para depois ter acesso ao misterioso conteúdo. As revistas eram sobre a eleição da Miss Universo de 1970 e aquelas mulheres todas representando os diversos países me fascinou. Comecei então a procurar por mais revistas, naquela época as revistas eram colecionadas e daí fui fazendo um acervo muito grande e estudando tudo. Em 1987 fui convidado pela Tv Itapoan/Record para falar sobre os concursos de misses e foi a primeira vez que fui chamado de missólogo, acho que foi a primeira vez no mundo que este termo foi usado. Depois disso não parei mais, fui convidado para ser jurado de vários concursos do Miss Bahia, Miss Paraná, Miss Rio Grande do Norte, Miss Brasil, Miss Brasil USA, Miss Brasil Europa em Estoril. Por diversas vezes fui apresentador de concursos de beleza e coordenador do Miss Bahia em 2005, 2006 e 2007.  

 

Para você este momento é a realização de um sonho?

Sim, um grande desafio a concretização do sonho de uma vida! Fui diretamente  convidado pelo novo franqueado Winston Ling para ser o porta voz e um dos  responsáveis pela organização do Miss Brasil. Quando comecei a gostar de concursos de beleza  não tinha ninguém que gostasse, me sentia um ET! Daíconheci em 1986 uma pessoa, depois outra em 87, em 88 mais interessados no assunto. Mas com o advento das redes sociais, hoje somos milhares de pessoas, alguns fanáticos, que acompanham tudo e todos os detalhes.

 

Roberto, poderia falar um pouco mais sobre o novo franqueado do Miss Brasil?

Vale dizer que Winston Ling é um grande empresário do Rio Grande do Sul, de descendência chinesa e também proprietário de uma revolucionária TV, a SoulTV, primeira plataforma interativa que, em breve, estará funcionando em smarts tvs como LG, Samsumg e também em aparelhos celulares.

 

É um novo momento para o Miss Brasil? Quais as expectativas?

O Miss Brasil está se reerguendo, esperamos ter um concurso honesto, sério desde os concursos municipais, estaduais e o nacional. A expectativa é conquistar com credibilidade e de forma natural o interesse dos brasileiros pelos concursos de misses.

 

Fale um pouco sobre a história do concurso no mundo e no Brasil.

Os concursos de misses em todo o mundo começaram com o advento da fotografia. Na Bahia existia um concurso em 1870 (ou 72), no RJ em 1865, já em 1900 foi eleita a moça mais linda do Rio de Janeiro, Violeta Lima Castro. Porém, apenas em 1921 foi eleita a mais bela brasileira, todos estes concursos eram realizados por fotografias.

Mas o primeiro concurso com o nome de Miss Brasil só aconteceu em 1929. Em 1939 foi realizado outro Miss Brasil e em 1949 ganhou a candidata de Goiás, Jussara Marques. Em 1952 o concurso foi reestruturado nos EUA e a partir de 1954 a primeira Miss Brasil desta nova fase foi Martha Rocha, que venceu o concurso Miss Brasil promovido pelo Jornal A Tarde. Foram selecionadas 7 candidatas e Martha ganhou o concurso que aconteceu no Clube Bahiano de Tênis, tendo ficado em 2o lugar no Miss Universo. Esse foi o inicio da história do Miss Brasil que atingiu seu auge em 1960.

Vale lembrar que concurso de miss é sucesso no mundo inteiro e no Brasil teve uma descontinuidade por causa da crise nos diários associados. Acredito que se a Tv Tupi não tivesse sido fechada e se a Revista O Cruzeiro também tivesse continuado, o concurso estaria brilhando até hoje. De 1981 a 1989 Silvio Santos transmitiu o concurso, já os anos seguintes o Miss Brasil ficou sem casa e em 2003 a Band assumiu até 2019.  

 

Quais são os critérios hoje para uma mulher se tornar Miss?

Para ser uma Miss Brasil é preciso ter entre 18 e 28 anos, segundo o que determina o Miss Universo. Logicamente a beleza é um destaque, ser uma mulher antenada, que fale línguas, que estude, uma mulher que saiba quem ela é e influencie e encante pela sua postura.

 

Porque você sempre acreditou no futuro do Miss Brasil?

Sim, acredito desde sempre! Sou um pesquisador e desde 1950 já encontramos material dizendo que o concurso iria acabar e não acaba, porque a beleza é uma das coisas mais importantes na vida, não falo obviamente em beleza fútil! Observe que as pessoas querem carros bonitos, uma casa bonita, a beleza pode abrir portas, mas sempre digo às candidatas, se não tiver conteúdo e pé no chão a beleza pode destruir, ou seja, a mulher tem que ter muito mais que beleza, é na verdade um conjunto de atributos que a tornam uma mulher uma Miss. 

Histórico de Conteúdo