Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Tecnologia em tempos de quarentena: como se aproximar dos colaboradores?

Antes de entrarmos em um cenário atípico como o isolamento e distanciamento social, há quem dizia que a tecnologia afastava os ciclos sociais e o convívio entre as pessoas. Porém, mediante a um cenário totalmente diferente do que todos estavam habituados, ela foi a responsável em aproximar e auxiliar a população, principalmente às empresas, que precisaram se reinventar e se adaptar dia após dia. 

Para Mônica Schimenes, CEO da MCM Brand Group, a tecnologia mudou a forma como as pessoas se relacionam e, consequentemente, como pensam a respeito do tema. "Para muitas empresas o trabalho remoto era algo ainda distante e acabou se transformando cotidiano para diversas delas. Mas, para que tudo isso fosse possível, todos passaram por um turbilhão de emoções, levando em consideração que a realidade dentro da casa de cada pessoa é única", comenta a empresária. 
 

De acordo com uma pesquisa realizada pela consultoria Cushman & Wakefield, 73,8% das empresas multinacionais que atuam no Brasil pretendem adotar o home office como prática definitiva no país. Este dado afirma o quanto a tecnologia e a nova maneira de se relacionar com os colaboradores, com um olhar mais humano e acolhedor, pode ser benéfica e positiva para os negócios. Essa mesma pesquisa afirma que para 25,4% dos executivos, a experiência do teletrabalho foi positiva, enquanto outros 59% perceberam mais pontos positivos do que negativos. "Todas essas mudanças que vêm ocorrendo em 2020 trazem valor tanto para as empresas, quanto para a vida das pessoas, impactando diretamente no desenvolvimento pessoal e profissional de todos. Com isso, vemos - inclusive - que nunca foi tão importante se atualizar, aprender e ensinar. Esse processo todo de transformação tem o seu lado doloroso e sabemos disso, mas sem esforço não há conquistas", destaca Schimenes. 
 

Entretanto, com tamanha liberdade que a tecnologia traz, as companhias precisam ser cautelosas e assumir um papel de persona, tanto nas suas interações, como em suas linguagens e horários. Essa adequação será essencial a todas as marcas que querem permanecer no mercado, principalmente com a nova proposta de reformulação do B2B e B2C para H2H - conhecido como humanos para humanos -, onde a tecnologia entra como uma ferramenta essencial aos envolvidos. 

 

Vivemos, atualmente, na era do antropoceno - onde o ser humano é o foco do negócio - e a tecnologia vai continuar avançando ao passo que as pessoas consigam desenvolver seus comportamentos e atitudes. Para isso, é importante quantificar e analisar toda a efetividade de competências humanas, mais conhecidas como soft skills. Desta maneira, será possível medir a produtividade de cada nova ação implementada e como cada colaborador tem se sentido durante o processo, fazendo com que as empresas possam escolher os melhores modelos de negócios para se adaptar e manter o sucesso. 
 

Mas como implementar esses novos modelos dentro das empresas? 
 

Como citado anteriormente, com a grande expertise da empresa em desenvolver ações com colaboradores, Mônica Schimenes listou algumas dicas de como manter essa nova relação dentro das empresas. Confira abaixo: 
 

• Mudanças: Esteja sempre aberto para elas, pois surgem quando a gente menos espera. 
 

• Prepare novos líderes: Liderança é uma construção baseada em confiança e potencial. 
 

• H2H (human to human): Teste pensar em projetos e processos centrados no ser humano. 
 

• Empatia: Item essencial no dia a dia. Seja empático em todas as relações. 

Histórico de Conteúdo