Economia Regenerativa: Onde estamos, para onde vamos e os impactos

Há pouco mais de 100 dias, o mundo inteiro mudou e o mercado vem debatendo fervorosamente sobre o cenário atual, tentando entender onde estamos e para onde vamos. Para a BOX1824, consultoria estratégica de decodificação de novos negócios, comportamento e inovação, mais do que analisar os impactos financeiros da crise, é necessário enxergar os valores e as prioridades que a Covid-19 está colocando diante do mercado e da sociedade. 

 

Quais os impactos desse momento em tendências que já vinham se desenvolvendo nos últimos anos? Como isso moldará o cidadão e consequentemente o consumidor do amanhã? Que tipo de sociedade sairá da quarentena? Para debater essas perguntas e as principais mudanças no atual contexto, além de revelar as apostas para o futuro dos negócios, a VP de Estratégia da BOX1824, Laura Kroeff, conversou ao vivo com Daniel Gasparetti, diretor de Planejamento.

 

Na live, foram apresentados resultados da pesquisa "CONSUMO: Como covid-19 acelerou mudanças" que aborda as fases das transições sociais diante da pandemia; as principais tendências comportamentais catalisadas pelo coronavírus; e uma aposta de novo modelo econômico, a Economia Regenerativa. 

Para BOX1824, esses drivers comportamentais que estão sendo drasticamente acelerados constroem a base para um modelo econômico mais transparente, justo e responsável: a Economia Regenerativa, caracterizada por um consumidor mais conectado, exigente e solidário, com expectativas enormes frente às empresas (especialmente em relação às líderes do mercado) e exigências de medidas abrangentes, transparentes, que gerem impacto e transformem modelos de negócio. "Esse novo cenário, leva a uma mudança de mentalidade das empresas, que agora têm suas demandas mapeadas não mais unicamente pelo desejo dos consumidores, mas principalmente pela identificação de grandes problemas estruturais das regiões onde se inserem", completa Gasparetti. 

Histórico de Conteúdo